Pular para o conteúdo principal

Disfarçando a tristeza

O passado voltava a atormentar seus pensamentos. Cada vez mais incisivo... implacável! Afinal, qual foi o erro? Por que tamanho tormento? Não bastava o perdão divino para dirimir a consciência pesada... a vergonha das palavras mal colocadas... as atitudes impensadas?...

“Quem dera fosse tão fácil assim...” murmurou desconsoladamente, Lembra? Nah... mas foi você quem quebrou as regras, não é? Então não venha agora colocar a culpa nos outros. Tsc... você não muda mesmo. Sempre olhando pro céu... pras nuvens... como se fosse a última das vítimas... à espera de um milagre.

Tola mente sonhadora.
Tolamente... só.

Não entende você que os milagres só acontecem quando menos esperamos? Quando, mesmo não merecendo graça alguma, não haverá nada, ninguém, força nenhuma ou vontade qualquer que poderá interceder para o seu cumprimento, exceto...

...exceto se Deus assim o designar?

Mas não precisa ficar aí desse jeito... disfarçando a tristeza. Deixa isso pras horas de fossa, pros dois dedos de Jack Daniel’s, praquela audição de Fakin' the Blues do Quo. Sabe, a vida não é um filme, mas sempre rola uma seqüência. E como nas eternas novelas, vai continuar no próximo capítulo. Se você lê quadrinhos, então, não perca o próximo número.

Quem sabe, ainda, não haverá um final feliz?

© Copyright Roberto Guedes

Comentários

Anônimo disse…
Belas palvras, Roberto. Boa filosofia e fé...
Parabens.
Abraço.
Franco
Anônimo disse…
Gostei do texto "fossa". rs E do clipe do Status Quo também. Cheguei a ter um bolachão dessa banda, o que tinha a "Down Down".
Carlos
Wendell disse…
Mais um belíssimo texto Guedes! Parabéns!!

Eh! Analisando, as vezes creio que nosso vida nos leva ao eterno retorno. De novo estamos à espera do próximo capítulo.
Mas sabe, a cada retorno, a cada espera pelo próximo capítulo estamos diferentes não é mesmo? Melhores? Talvez, se nos dispusermos a tal. Mas com certeza mais perto do final feliz.
É só sincronizarmos nosso tempo com o Dele - difícil não? - e pow! No óbvio veremos a resposta para concluirmos uma saga e começarmos outra.

Abraços!

Wendell
horacio disse…
gostei!!!
para variar, muito agradáveis os seus textos!!!!
Abração, Roberto!!!
Horácio
Anônimo disse…
"Tola mente sonhadora. Tolamente só". Caramba! O que aconteceria se misturássemos Stan Lee com Nelson Rodrigues e Billy Graham? Teríamos Roberto Guedes.
Parabéns por mais um incrível texto, amigo.
Sergio
Anônimo disse…
Olá Guedão!! Por acaso é uma amostra dos seu ensaio literário em desenvolvimento?

Eu li sobre o Meteoro com a origem dele sendo revitalizada. Tem previsão de quando vai sair?
Forte abraço,



Carlo Lebotti
Roberto Guedes disse…
Fala, Lebotti!

Estou escrevendo um romance, e, em paralelo, outro livro teórico sobre HQs. Mas o texto "Disfarçando a tristeza" é algo isolado. Pura inspiração de momento. E a música do QUO contribuiu pra isso. rs

Sobre o personagem, leia a última resposta que postei em "Meteoro -super-herói por excelência".

Abraço a todos que comentaram aqui!
Anônimo disse…
Não é pra qualquer pessoa escrever coisas assim. Muito lindo!
Anônimo disse…
que texto lindo! Veio bem a calhar agora pra mim.....................


Alessandra