Pular para o conteúdo principal

Mais linda do que nunca!

Ó Senhor, joga a luz da meia-noite sobre mim. Coloca um pouco de juízo nesta cachola teimosa e velha. Mostra o caminho certo, a vereda correta... e afasta a face dela de mim.

Seu rosto vem me atormentar à meia-noite, ó Senhor. Seus lábios vêm me cobrar. “Cadê você? Que faz aí? Vem pra mim!”, diz ela, ansiosa.

Tão bela quanto antes... mais linda do que nunca!

Arremesso-me ladeira abaixo, e vejo Willy e os pobrezinhos tocando na esquina. A música é... sem palavras. Ah, a música é!
Que música!
Meu Deus! Que música!

As ondas sonoras entorpecem meus sentidos e jogo lá meus trocados. Ó senhor, ela continua atrás de mim... tão bela quanto antes... mais linda do que nunca.

Mais linda do que nunca!

Mas eu corro muito. Sempre fui bom de corrida!
Corri dos problemas.
Corri dos amigos.
Corri dos amores!

Mas agora é tarde. O badalo soou dobrado no 12. Começou mais um dia... e ela continua a me seguir... a me cobrar. A garrafa de Daniel’s não surtiu efeito algum.

Pelo menos, não o esperado.
O esperado esquecimento.
O esperado aquecimento.
O esperado desaparecimento.

Ó Senhor, joga a luz da meia-noite sobre mim!
Leva-me para longe nesse trem da salvação. Pois o sorriso dela sempre foi o meu fraco. Minha única fraqueza.
Afinal... ela continua mais linda do que nunca.

© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados.

Agradecimentos especiais ao Creedence Clearwater Revival – e, particularmente, ao genial John Fogerty –, pelo embalo nas incontáveis noites de fossa.

Comentários

Wendell disse…
Como diz o Andre: Ele fez de novo!

Maravilhoso!!!
Guedão, honestamente, quando li esse seu texto vi meu reflexo e fiz mais uma - das minhas inúmeras reflexões.
Me transportei, ainda, para uma história do meu chapa Pete.

"Não foi o Homem-Aranha que se interpôs entre eles e a felicidade...Não foi ele? Não foi?"

Você tem um dom Guedes. Tocar na alma das pessoas, fazê-las refletir sobre si mesmas.
Sabe, nesses mergulhos eu sempre acabo reencontrando algo que muitas vezes julgava perdido.

Abraços!

Wendell
Lucas disse…
Guedes, maravilha! Você construiu um texto excelente em cima de duas músicas do Creedence, né? "Midnight Special" (do clipe), e de "Down on the corner" que cita "Willy and the poor boys" numa das estrofes. Adoro quando você coloca essas referências musicais em seus textos. E ainda, com essa cena de HQ... que acredito ser da nova série do Meteoro né? Pelo menos, o traço parece com o do desenhista que você anunciou em outra mensagem.
Sabe, cheguei a conclusão só agora que o seu blog não é apenas um espaço dedicado aos quadirnhos, mas a "ensaios e reflexões sobre um pouco de tudo" - hehe - como é que eu não tinha me ligado nisso antes? Você usa as HQs como ponte pra falar de vários assuntos. Por exemplo, neste da "Mais linda do que nunca!" fala de amor, sem puderes, totalmente na "fossa", mas com uma sensibilidade, paixão e verdade incrível. Parabéns, cara! Parabéns"
Soraia disse…
Aiai... que texto lindo, Beto!Estou emocionada.
izely guedes disse…
Lindo! Simplesmente maravilhoso! Você realmente é demais!!!!!!Parabéns.
Sandrão disse…
Oi Guedes

De vez em quando eu apareço (monos do que gostaria) é a correria.
Lindo texto, incrível como você consegue captar o que sentimos a respeito da personagem.
Será que existe um fã do Aranha que não era apaixonado pelo doce Gwen?
Roberto Guedes disse…
Sandrão, faço questão de sua presença por aqui. Já dizia o sábio que é bom ter os amigos por perto.

---

Izely, obrigado pelas palavras generosas! Também te acho incrível!

---

Soraia, Lucas e Wendell,

Que bom que vocês gostaram e se emocionaram. Toda vez que coloco um texto novo (principalmente os dessa natureza), fico com um certo receio. Algo como: "Será que vai agradar?". rs

E... sim! A idéia do blog sempre foi esta: comentar e refletir sobre vários assuntos, inclusive HQs, claro.

Ah, a imagem é da nova série do Meteoro.
Anônimo disse…
Legal o texto, parabéns!

Abraço!

Leandro
Samuel Bono disse…
Muito bom, o Lucas aí falou tudo. Ótimo texto.
Roberto Guedes disse…
Valeu, Samuel!

Abração! :)
Anônimo disse…
relendo: ...sem comentários!