Pular para o conteúdo principal

Lucas da Vila - Uma graphic novel arretada!

Li com muita satisfação a interessante HQ “Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira”, de autoria de Marcos Franco e Marcelo Lima (roteiro e pesquisa), e Hélcio Rogério (arte). Trata-se de um álbum de 48 páginas em P/B, no formato 21 x 29 cm, com capa plastificada, cujo projeto gráfico é assinado por Caio Sá Telles, viabilizado graças ao apoio de várias entidades culturais e do Governo do Estado da Bahia.

A trama é baseada em fatos verídicos e outros nem tanto sobre a figura histórico-mitológica do cangaceiro negro Lucas da Feira, que perambulou pelo sertão nordestino – notadamente baiano – durante a primeira metade do século 19. Ou seja, precursor até do famoso pernambucano Lampião.

Livros e sites especializados em cultura nordestina foram consultados, bem como residentes de cidades e comunidades cederam entrevistas aos autores, dando maior credibilidade e verossimilhança ao produto final.

Contudo, Franco não se prende a uma narrativa didática, tampouco procura achar explicações plausíveis de ordem psicológica para o comportamento do criminoso. Trabalha sim – e com efeito positivo – as cenas em flashback da infância de Lucas, filho de escravos, espancado sem dó e piedade pelo terrível feitor português Mandragoa; o que teria desencadeado (ou justificado) seu sentimento de revolta.

“[...] a lei dos branco pra mim num representa nada!”, diz antes de liquidar um comerciante arrogante.

A questão do racismo aqui não é inequívoca, já que reproduz a mentalidade da sociedade escravocrata brasileira daquele período. Lucas e seu bando de estupradores e assassinos odeiam o branco, mas não abrem mão de um conchavo com os coronéis mestiços se isto lhes garantir um bom dinheiro – cuja cor deste é amada por muitos.

Quanto aos desenhos de Rogério, são de uma beleza tamanha, que ao primeiro contato visual, remete aos melhores momentos de Mozart Couto (não por acaso, uma de suas influências artísticas). As figuras humanas são poderosas e seus cenários muito bonitos. Rogério trabalha com maestria o claro-escuro, empregando suspense a cada passagem de página. Junte a isso tudo páginas de sketch dos personagens, um glossário de termos regionais e uma ilustração sensacional na 3ª capa feita pelo veterano Adauto Silva.

De negativo apenas, cito alguns balões pequenos demais em certas páginas, e o “sumiço” de algumas palavras no texto de 4ª capa, bem como a escolha do azul para as mesmas, dificultando a leitura por causa do fundo preto. Nada, contudo, que desmereça a publicação. O interessado poderá adquirir entrando em contato pelo e-mail lucasdafeirahq@gmail.com .

Vale a pena conferir!

© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados.

Comentários

MARCOS FRANCO disse…
Prezado Guedes,

Fico feliz pelas críticas precisas e muito bem embasadas tecidas ao álbum Lucas da Vila de Sant’Anna da Feira e, em nome de toda equipe venho agradecer pelo espaço que nos foi gentilmente cedido.

Forte abraço, meu amigo.
Marcelo Oliveira disse…
Opa! Sou Marcelo, fiz o roteiro junto com Marcos, e queria só dizer que as letras "sumidas" já foram corrigidas nos outros exemplares.

Abraço e obrigado pela atenção na leitura da HQ.
Anônimo disse…
Obrigado Guedes pela excelente dica.
Vou conferir a Graphic. Esta época da hiatória brasileira desperta em mim grande interesse.
Abraços,
Andre Bufrem