Pular para o conteúdo principal

Nas vogais de meus desejos


Queria poetizar
Coisas belas e rimadas
Com sentido e verdadeiras
Uma ode feita em versos
Simetria em sentimentos

Mas só penso
Quão difícil
É perder-se ante as sílabas
De palavras desconexas
Consoantes do apego

Da pena jorra a tinta
Comandada pelo punho
Improviso é paixão
Um delírio, logo acaba
Mas o amor não é terreno

Tomara que, contudo
Você possa e queira lê-las
Descobrir minhas angústias
Entre verbos conjugados
Nas vogais de meus desejos

© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados. 

Comentários

Anônimo disse…
Cara, gosto de poemas mas admito que nunca dei muita atenção. Esse é bem legal, pois explora sentimentos de forma bem objetiva. Na primeira estrofe entendo que o poeta quer sempre passar sua ideia de uma forma honesta e na segunda, as dificuldades que topa no processo. A terceira tem um apelo erótico? hehe assim eu entendi, e a última é apoteótica, um grand finale vou dizer assim. Não ligue pras minhas bobagens, não sou especialista, mas como comentei acima, aprecio textos inteligentes como esse. Parabéns!

Cesar
Darci disse…
Lindo! Faça mais poemas.
Sandro Marcelo disse…
Prevejo um livro de Poemas de autoria de Roberto Guedes, o mago das palavras!
Carlos disse…
Supimpa, meu velho!!!!!
José Valcir disse…
Guedes, bom dia

A poesia nada mais é do que a manifestação intimista de uma pessoa. Seu poema reflete isso: uma emoção equilibrada pela razão em função de um texto coeso, sucinto e claro. Sem arroubos, mas dizendo, em cada palavra, o desejo inerente guardado por tanto tempo.

Roberto Guedes disse…
Obrigado pelos comentários, pessoal!