Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2015

Dois Brasis distintos

* Um breve passeio pelo Brasil dos anos 1960 - começando pelo final da década anterior -, sob o prisma da Cultura Político-Musical *
Em 1958, João Gilberto gravou Chega de Saudade, considerado o primeiro disco de Bossa Nova. Um estilo musical que fundiu o Be-Bop e o Cool Jazz norte-americano com o romantismo do Samba-Canção, evitando, entretanto, os arroubos vocais deste último. 
Com harmonias ricas e um cantar “palavreado”, a Bossa Nova fez muito sucesso, em particular, entre a juventude classe média e universitária brasileira, e seria um contraponto ao Rock and Roll oriundo da América, cada vez mais influente entre a nossa juventude – desde que Nora Ney regravou Rock Around the Clock, de Bill Halley, ainda em 1955.
Enquanto Celly Campello estourava nas paradas de sucesso com Estúpido Cupido (1959), a Rua Augusta, na capital paulistana – então uma área chique, repleta de bancos, lanchonetes, livrarias e lojas de discos –, se configurava em ponto de encontro de jovens encarnando o James …

Kirby contra a chatura e o lugar-comum

Outra curiosidade legal para os seguidores do Manifesto e marvetes em geral!

As duas imagens desta postagem são, respectivamente, o primeiro e o último quadro de uma HQ de duas páginas feita por Charlie Parker.

A história foi publicada originalmente em FOOM 11 (setembro de 1975) - o fanzine oficial da Marvel na década de 1970 -; e republicada no Brasil pela Bloch Editores, em Capitão América 20 (janeiro de 1977).

Detalhe: nos EUA esse material não saiu colorido.

Trata-se de um conto bem humorado, que conta a "origem" do cocriador de Capitão América, Thor, Hulk e Quarteto Fantástico - entre muitos outros super-heróis maravilhosos (a lista é praticamente infindável). 

Na realidade, uma homenagem a Kirby, que estava de volta à Casa das Ideias após cinco anos de estadia na DC Comics, onde produziu novas séries como Os Novos Deuses, Kamandi, Demon etc.

E antes que me esqueça, o personagem ridículo que aparece contracenando com o "Rei" é Forbush Man (Homem Arbusto pela Bloch).…