Pular para o conteúdo principal

Não dá pra torcer

No primário eu ganhei algumas medalhas em provas de atletismo. Ainda garoto fiz um curso de basquete.

Na adolescência até joguei vôlei! Enfim, sempre gostei de esporte... mas o meu preferido, entre todas as modalidades, é o futebol!


Joguei bola em campinhos de terra, na rua, no clube... em time de várzea. Disputei campeonatos valendo taça! Joguei futebol de salão!... Futebol de botão! Fui campeão escolar! Artilheiro de campeonato!

Sempre amei o futebol!

Meus principais "ídolos" no esporte foram os jogadores do Palestra, meu time do coração - porém, por gostar tanto de futebol, também admirava sobremaneira os grandes craques de outros clubes.
Até mesmo os dos principais rivais.

A Seleção Canarinho de 1982 ainda hoje me assombra as lembranças, me arranca alguma lágrima quando revejo os velhos vídeos...

Mas com o passar dos anos, o meu amor pela disputa esportiva ficou cada vez mais em desacordo com a profissionalização extremada desse NEGÓCIO chamado futebol.
Meu sentimento está hoje em completa desarmonia com a falta de amor e excesso de mercenários que se apossaram do esporte bretão em nossa querida terra brasilis.

Futebol no Brasil é projeto eleitoreiro, negócio de político corrupto, de multinacionais malignas, de crime organizado... e o mais deflagrado reflexo de uma sociedade doente. Por uma questão de consciência e civismo, eu não devo torcer para a Seleção Brasileira na Copa de 2014.


© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados.

A música Desculpa, Neymar é de Edu Krieger.

Comentários

Cesar disse…
Tenho o mesmo pensamento. você resumiu a indignação de muitos nesse parágrafo:

"Futebol no Brasil é projeto eleitoreiro, negócio de político corrupto, de multinacionais malignas, de crime organizado... e o mais deflagrado reflexo de uma sociedade doente. Por uma questão de consciência e de civismo, eu não devo torcer para a Seleção Brasileira na Copa de 2014."

Infelizmente acho que a maioria dos brasileiros não compartilha desse pensamento. Ou melhor, nem pensa nada.
Anônimo disse…
Guedes no meu caso também cheguei a bater uma bolinha mas logo descobri que teria que subir muito na vida para conseguir ser medíocre, passei a ser apenas torcedor. Ms meu desencanto com este antecede a estupenda seleção de 82 para mim o declínio começou no início do anos 70. Como bem dissestes excesso de profissionalismo e na mesma proporção maracutaias e falta de amor à camisa também me tiraram o encanto. Edu
Jota Silvestre disse…
O melhor que pode acontecer para o Brasil (país) é o Brasil (seleção) não ganhar esta Copa.

Não vou torcer contra (não consigo), mas também não vou torcer a favor.
Concordo contigo. Interessante e necessário desabafo. Cito Ricardo Teixeira "O futebol não representa ninguém".