Pular para o conteúdo principal

As 50 melhores HQs do Homem-Aranha [20 - 16]

Desta vez vou abdicar dos recados habituais, pois estou ansioso para chegar logo às finalíssimas deste artigo - que já vem sendo considerado histórico por muita gente.

Mas é claro, não deixe de apreciar as cinco colocadas relacionadas adiante, e de me enviar seus preciosos e aracnofanáticos comentários, OK?

Ah, sim, true believer...

Se você só está chegando agora, confira primeiro as seis partes anteriores nos links abaixo, e depois volte aqui pra se balançar nesta agitada teia do Aranha.

Tá falado!

Parte 1 [50 - 46]
Parte 2 [45 - 41]
Parte 3 [40 - 36]
Parte 4 [35 - 31]
Parte 5 [30 - 26]
Parte 6 [25 - 21]

20ª - QUALQUER LANCE SERÁ FATAL!
[Marvel Team-Up 39 e 40]
Acho que você já sabe que eu adoro histórias de gângsteres, né? E essa é uma das melhores, vai por mim! Janice Foswell e Nick Lewis Jr. formavam um casal apaixonado e, coincidentemente, eram filhos dos mafiosos Maioral e Mestre do Crime (respectivamente). Sem que o outro soubesse, os dois decidiram reviver os alter egos dos pais e eliminar o Homem-Aranha e o Tocha Humana. Para executar o plano, contaram com a ajuda dos Executores e do Homem-Areia. Em meio a um dos quebra-paus mais alucinantes já ocorridos no submundo da Marvel, os heróis são ajudados pelos Filhos do Tigre. Ao final, os vilões se dão mal, e o novo Mestre do Crime mata o novo Maioral - só para descobrir em seguida, desesperado, que seu rival era o amor de sua vida. Destaque: a nova amizade do Aranha com Mosquito (Manuel Arguelles), um garoto hispânico que cuida de pombos num telhado qualquer de Manhattan.
Autores: Bill Mantlo (roteiro) - Sal Buscema, Mike Esposito e Dave Hunt (arte)


19ª - NUNCA DEIXE UMA GATA NEGRA CRUZAR SEU CAMINHO!
[Amazing Spider-Man 194 e 195]
Eu sempre tive a impressão que a fase de Marv Wolfman na ASM nunca recebeu a devida atenção de crítica e público. Não foi muito longa, é verdade, e seu parceiro, Keith Pollard, não imprimiu um visual artístico tão vibrante como o fez, pouco antes, no gibi do Quarteto Fantástico. De qualquer forma, ambos produziram ótimas HQs do Aranha - e três delas, pelo menos, considero fundamentais em sua mitologia. Esta é uma delas, com a introdução da charmosa e bandida Gata Negra, o interesse amoroso mais louco que o Aranha teve em sua vida. E só isso já basta! Ah, sim... se você é daqueles que também gamou na felina, agradeça a Stan lee. Quando o editor viu que Wolfman queria introduzir um personagem masculino chamado Black Cat, na revista da Mulher-Aranha, mandou o roteirista transformá-lo em mulher e transferi-la pro gibi do aracnídeo. Detalhe: o visual sexy foi bolado pelo saudoso Dave Cockrum - um verdadeiro especialista em trajes super-heroicos.
Autores: Marv Wolfman (roteiro) - Keith Pollard, Frank Giacoia, Jim Mooney (arte)


18ª E CHEGA A MORTE!
[Amazing Spider-Man 90]
Depois do Duende Verde, com certeza o Doutor Octopus é o vilão mais terrível da galeria de canalhas do Homem-Aranha. Desde o princípio ele esteve ligado, de alguma maneira, aos entes queridos de Peter Parker: Betty Brant, Tia May, John Jameson e, no caso aqui, o Capitão Stacy. Durante um de seus combates ferrenhos sobre os prédios de Nova York, o Aranha utiliza um produto químico que faz Doc Ock perder o controle de seus tentáculos. No processo, os tentáculos atingem uma chaminé, e os destroços se precipitam à rua, prestes a esmagar um garotinho. Naquele átimo de segundo, George Stacy salva a criança, sendo soterrado no lugar dela. Enquanto o vilão foge, o Aranha se apressa em levar o amigo ao hospital. Sentindo que vai morrer, Stacy deixa claro que sabe da dupla identidade do herói, e pede a ele que cuide de Gwen, sua filha. Em prantos, o aracnídeo promete amar e proteger Gwen para sempre. Reler essa história, depois de sabermos qual foi o desfecho do relacionamento de Peter e Gwen, se torna uma experiência ainda mais dolorosa.
Autores: Stan Lee (roteiro) - Gil Kane e John Romita (arte)


17ª - O CONFRONTO FINAL!
[Amazing Spider-Man 200]
Há meses a Marvel preparava alguma coisa especial para a edição 200 do Homem-Aranha. Num grande arco envolvendo a morte forjada de Tia May, pelo vilão Mystério, Wolfman levou Peter às raias da insanidade, ao mesmo tempo em que o deixava totalmente sem superpoderes para o capítulo final. O grande baque foi descobrir que o assassino de Tio Ben estava de volta querendo se apropriar de uma fortuna enterrada na casa dos Parkers - revelando aí a razão do bandido ter invadido a casa e matado Ben Parker em Amazing Fantasy 15. Na base da garra, o Aranha derrota o criminoso e revela-lhe que é Peter Parker. Aterrorizado, o bandido tem um enfarte e morre. May é resgatada de seu cativeiro e, a partir de então passa a ver o Aranha com outros olhos. Fechava-se um ciclo na turbulenta trajetória do Amigão da Vizinhança.
Autores: Marv Wolfman (roteiro) - Keith Pollard e Jim Mooney (arte)


16ª - O MENINO QUE COLECIONA HOMEM-ARANHA!
[Amazing Spider-Man 248]
Você quer ler uma história pra chorar bastante? Acabou de achá-la! Tudo começa meio esquisito, com o Aranha visitando o quarto de um garotinho chamado Tim Harrison. O bate-papo entre os dois é entrecortado por imagens de uma coluna do repórter Jacob Conover, dando conta que Tim é o maior fã do Aranha de que se tem notícia. Tim tem vários recortes de jornal e filmes sobre o Aranha. O herói conta a Tim como adquiriu seus poderes e a por que combate o crime - segredos que, até então, não havia revelado a ninguém. Quando se prepara para ir embora, Tim pede que o Aranha diga quem ele é de verdade. Há uma pausa, e o incrível acontece: o aracnídeo tira sua máscara e diz que é Peter Parker. Os dois se abraçam, e Tim jura que nunca contará o segredo pra ninguém. Finalmente quando o Aranha vai embora, visivelmente arrasado, o leitor entende a razão de ele ter respondido todas as perguntas do garoto: é que a parte final da coluna de Conover traz um apelo para que o Aranha, caso a esteja lendo, faça uma visita urgente a Tim, pois ele tem leucemia, e poucas semanas de vida.
Autores: Roger Stern (roteiro) - Ron Frenz e Terry Austin (arte)


© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados.

Comentários

Sandro Santos disse…
Seleção perfeita. Todas estão na minha relação das 20 melhores com toda a certeza.
Não sei se todos notam, mas a história que termina em ASM 200 começa justamente na história que introduz a Gata Negra.
Seleção perfeita e trágica, todas as histórias tem a sombra da morte de uma maneira ou outra.
Roberto Guedes disse…
Muito bem observado, Sandrão! A morte sempre foi uma constante na vida do Aranha, mas nas HQs dessa seleção, sua presença foi pra lá de trágica.
flavio disse…
Caramba...Agora foi covardia com os Aracnofãs.A morte do Capitão Stacy...(A segunda grande morte na trajetória do escalador de paredes.) O reencontro do Aranha com o assassino do Tio Ben.(Lançada no Brasil quando o Aranha completava 15 anos da primeira publicação no Brasil) E pra marejar os olhos só de lembrar: 'O menino que coleciona Homem-Aranha.'(Simplesmente a história mais emotiva do Aranha, na minha opinião.) Realmente uma seleção de peso.Valeu,Roberto!!!
Roberto Guedes disse…
Bem lembrado, Flavio: a ASM 200 saiu por aqui em 1984, em Homem-Aranha 9, da Editora Abril.

E pode apostar que as próximas postagens serão de uma "covardia" ainda maior para nossos corações aracnídeos.

Abraço!
Andre Bufrem disse…
Rapaz. estou arrepiado até agora.
Não acredito que existam 15 histórias melhores que essas que citou.
O confronto final foi incrível mesmo. Tudo de ruim acontecendo e o Peter conseguindo superar os obstáculos.
O menino que colecionava Homem-Aranha então....
Capitão Stacy. Uma tragédia a morte dele.
O que vem por aí?
Roberto Guedes disse…
Se acomode em sua teia predileta, chapa... que vem coisa muito boa por aí!
Lancelot disse…
Rapaz, esta seleção foi uma sacanagem... Todas tem uma pegada trágica, com exceção da Gata que é mais romântica... Desta seleção a que mais me marcou, apesar de todas serem excepcionais (não devia tê-las colocados juntas), eu me senti mais transportado como leitor e participando daquele caldeirão de sentimentos na Menino que Colecionava Homem-Aranha. Simplesmente simples e fantástica! Não dá para não deixar de pensar na história após fechar a revista... Muito legal mesmo. Esta, eu posso dizer, merejei os olhos.
Outro lance que o leitor de comics pode encontrar é uma pegada do Eisner, acho que o Stern, tambem quis fazer uma homenagem. E o Roger é um fã convicto do Eisner... A história também tem aquele modo de ser contada do Eisner, né? O Aranha é mais um figurante, o astro é o Tim... Tem histórias que marcam o leitor e esta eu coloco ao alado da HQ do Gerald Snoble, na minha seleção de "marcantes"... Mas, esta seleção deste post foi f##da!, man!!!
Roberto Guedes disse…
O que tenho achado mais legal nessa série de postagens sobre o Aranha, é justamente a troca de impressões, ideias e informações com vocês sobre as histórias ranqueadas. Lance, você tem toda a razão em apontar a influência do estilo Eisner sobre Stern na referida HQ.

Já a HQ de estreia da Gata Negra apresentou dois momentos trágicos: a morte do pai dela, e a notícia da (falsa) morte de Tia May - cuja trama seria concluída na edição 200.

Abração!
O menino que colecionava homem-aranha,essa história deve ser ótima,lembro dela do desenho dos anos 90,mas colocaram uma menina no lugar do menino,mas gostei muito desse episódio.