Pular para o conteúdo principal

A volta do Status Comics

Em maio de 1989, eu estava no comecinho de carreira, e fazia roteiros de HQs para pequenas editoras de São Paulo, quando, inspirado por revistas como Amazing Heroes e Comics Interview, decidi me lançar também no jornalismo cultural, com a publicação do meu primeiro fanzine: o Status Quo Comics. 

O Status Comics, como ficaria mais conhecido entre os leitores, trazia novidades do mercado de quadrinhos, entrevistas e reportagens longas sobre autores e personagens; e caiu no agrado geral – sendo largamente divulgado em jornais e revistas de circulação nacional da época. Em 1992, após 10 edições, o Status Comics se transformou num selo editorial, que abrigou sob sua chancela, os gibis independentes Meteoro, Os Protetores e Força Máxima. Em 1995, uma segunda série do Status Comics foi lançada, em quatro edições bem populares.


Agora em sua terceira encarnação, o Status Comics retorna maduro, profissional, e com um teor jornalístico mais opinativo, sem abrir mão do enfoque histórico. Trata-se de um projeto particular, não vinculado às editoras com as quais colaboro regularmente, e novas edições sairão somente quando eu entender que um assunto mereça atenção especial.

Para essa reestreia, o Status Comics esmiúça os últimos 30 anos da trajetória do Homem-Aranha nos quadrinhos. Revelações sobre os bastidores, a guerra de egos e as decisões editoriais equivocadas que quase liquidaram com um dos maiores ícones da Cultura Popular mundial.

Desde A Última Caçada de Kraven até a recente Clone Conspiracy, passando pela Saga do Clone, Origem Totêmica, Guerra Civil, Pecados Pretéritos, Homem-Aranha Superior e Spider-Gwen. Tudo entrecortado por depoimentos de J. Michael Straczynski, Joe Quesada, Brian Michael Bendis, Stan Lee e J.M. DeMatteis.



A revista se completa com uma reportagem dedicada ao incrível John Romita Sr., o artista responsável por transformar o Cabeça de Teia no símbolo da Marvel Comics. Aspectos praticamente desconhecidos ou pouco comentados da carreira de Romita merecem destaque. Como o fato de ter utilizado um assistente não creditado numa HQ do Aranha, ou detalhes de sua fase final na Casa das Ideias, ao comandar o grupo Romita’s Raiders. A edição, diagramada por Sandro Marcelo, traz ainda belíssimas ilustrações em cada página.

A arte da capa, originalmente planejada por Romita para o magazine The Spectacular Spider-Man 2, de 1968, e substituída por uma versão pintada feita pelo próprio artista, agora é apresentada ao leitor brasileiro. Restaurada em toda sua pompa e glória, e em cores vibrantes, por Robbie Prado (pseudônimo de Roberto Yukio Yashinaga) – publicitário que criou vários logotipos para os gibis da Editora Abril. Robbie também desenvolveu o novo e dinâmico logotipo do Status Comics. Definitivamente, uma edição para estudiosos das HQs e colecionadores sérios.

STATUS COMICS
Formato: 15 x 21 cm * 36 páginas: papel offset 90g * Capa: papel supremo 250g - John Romita (arte) e Robbie Prado (cores) * Contato: guedesbook@gmail.com * Tiragem limitadíssima * R$ 25 (frete registrado incluso)

© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados.

Comentários

André Valle disse…
Excelente notícia! Pode reservar meu exemplar, Guedes!
Roberto Guedes disse…
Com certeza, André! Abração!
Andre Mansim disse…
Putz! Que bacana!
Vou te mandar in box no face meu endereço e você me manda sua conta.

Um abraço!
Roberto Guedes disse…
Grato pelo interesse e aquisição, Andre!
Anônimo disse…
Boa tarde, Roberto Guedes!

Ainda tem algum exemplar disponível?

Marcelo Giovanni
Roberto Guedes disse…
Olá, Marcelo! Recebi seu e-mail e já respondi, com as coordenadas para receber o Status, OK? Abraço!