Pular para o conteúdo principal

Um lugar ao Sol

“Durante minha vida ocorreram muitos fatos embaraçosos e emocionantes que, vez por outra, eu comparei com a vida turbulenta de Peter Parker. É incrível como as aventuras desse personagem conseguem ser tão envolventes. Em suas histórias, vejo o meu reflexo e o de milhões de jovens. Ali se encontra um cara com problemas de ordem financeira e amorosa que, com o passar do tempo, vai suplantando todas as dificuldades e nunca perde as esperanças de conquistar seu lugar ao Sol.”

Tais palavras compõem parte de uma carta que enviei para a Editora Abril, e que foi publicada na seção Teia de Leitores de Homem-Aranha 35 (14 de maio de 1986). Lembro que alguns amigos mais chegados (entre eles, o Leandro Ciasca, querido e velho parceiro desde a época do Status Comics), decoraram linha após linha essa cartinha, e viviam a repeti-la para mim, como uma espécie de brincadeira particular. Eu nunca liguei, pois sabia que lá no fundo, eles tinham curtido à beça essa minha ode melancólica à emblemática aracnídea.

E olha que na ocasião eu já estava bem a par dos cortes e adulterações cometidos pela publicadora da arvoreta nas revistinhas Marvel. Mas, sabe... eu achava empolgante o fato de todo o Universo Marvel estar, enfim, sob o mesmo “teto” no Brasil, após anos e anos da mais completa promiscuidade editorial.

Naquele afã jovial, eu participava das reuniões do Conclave promovidas pelo Jotapê, que ocorriam nas dependências do Centro Cultural Vergueiro – de onde saíram pessoas importantes, como Giovanni Voltolini, Dario Chaves, Mauro dos Prazeres (Devir), Wilson Costa (fanzine Alegoria), Leandro Luigi Del Manto, etc. e tal –; escrevia e desenhava minhas próprias HQs, sonhando em vê-las publicadas um dia; e freqüentava a Livraria Muito Prazer, o quartel-general paulistano dos aficionados por gibis na década de 1980. Foi onde conheci, por exemplo, caras como Franco de Rosa, Joe Prado, Gedeone Malagola, Reginaldo Borges, e por aí vai.

Olhando para trás, parece que foi uma época mais inocente, repleta de sonhos que viriam a ser realizados. Tsc. Sei lá...

A bem da verdade, não tenho muito do que reclamar, e creio até que sou um privilegiado. Afinal, muita coisa eu consegui tornar realidade graças ao meu esforço, ao meu talento e, claro, à vontade de Deus.

Só que aquela velha teimosia do “querer mais” jamais nos abandona por completo. Aposto que com você é a mesma coisa, não é mesmo? Não importa o quanto tentem te desencorajar, nem o quanto te digam que é impossível. Você vai lá na coleção... pega aquele gibi antigo... lê uma história do Peter Parker, e... pronto! O Sol brilha de novo pra você.

Vamos à luta, meu chapa!

© Copyright Roberto Guedes

Comentários

Cara,eu tenho certeza que o sucesso do Homem-Aranha é justamente esta identificação com milhares de fãs.Tinha se perdido iso com o tempo,mas,o Quesada está colocando o persoangem na estaca zero de novo,querendo resgatar o herói Pop que ele era nos primórdios.
No meio de tantos personagens estereotipádos,o Aranha é a salvação da lavoura nesta nova fase!
Dica para o próximo post:falar de seus personagens ao estilo Marvel e como vc conseguiu criar algo bem brazuca colocando os personagens dentro da realidade realidade brasileira.
Já leu o livro He? Ele fala sobre a psicologia junguiana relacionando com os mitos medievais, no caso específico, a busca do Graal. No livro ele diz que todo garoto teve um momento em que entrou no castelo do Graal e teve um vislumbre da plenitude. Sempre acreditei que minhas entradas no castelo do Graal foram com quadrinhos. Pelo que vejo, você também andou visitando o castelo do Graal na forma de gibis...
Wendell disse…
S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L.
Meu caro Guedes, esse reflexo também é meu. Devo admitir que fica difícil escrever diante de seus textos mas creio que Peter realmente nos traz essa luz, essa força, porque sabemos que ele nos ensina a acreditar em um ideal, acreditar que podemos nos realizar ajudando outras pessoas. Que o ser humano precisa buscar sua quinta -essência porque o mundo não se resume apenas ao contido na matéria. Muito pelo contrário, as coisas de verdadeiro valor estão presentes na busca pelo intangível. E essa natureza intangível seria fruto de alguma alienação? Na minha visão não. São intangíveis AINDA porque nossos olhos estão cegos para vê-las. Peter é a conversão (quando se torna o Homem-Aranha). Peter é a humildade (quando se esconde sob a máscara). Peter é o apóstolo (quando se sacrifica e ensina o bem). Ele é o herói porque qualquer um pode enxergar nas trevas, mas muito poucos podem exergar na luz. Eu simplesmente amo esse personagem que atualmente é muito mal escrito, mal aproveitado. Embora ele seja controverso, em minha opinião, a vários anos as melhores histórias do Homem-Aranha podem ser vistas em Ultimate Spider-Man de Brian Michael Bendis.
Escrevi muito não? Mas é o Peter né? rsrsrs...
Isso mesmo, vamos à luta. Como Peter, combater o bom combate.
Abraços! Wendell.
Anônimo disse…
Genial, em poucas palavras você demonstra porque o personagem, e os quadrinhos são tão fascinantes.
Também me identifiquei com o personagem e várias vezes em momentos difíceis me peguei com antigos quadrinhos. Ninguém que não conheça essa forma de expressão fascinante (parece ser o caso de vários profissionais da área hoje)pode entender essa relação. Mas qualquer um que já se emocionou com um gibi na vida entende muito bem suas palavras.
Gerson_Fasano disse…
Duca Guedes !!! Já conversamos sobre várias passagens pessoais minhas, e numa das mais importantes estava com um gibizão do Homem-Aranha nas mãos. Mas o que mais me chamou a atenção não foi o PP/HA, e sim que não se pode desistir. Você se direcionou ao longo de sua vida para o que tinha vontade e batalhou por isso. Teve derrotas (pequenas) e vitórias (enormes), e é assim que vejo a semelhança com PP/HA. Matar um leão por dia... é por aí...

Só tome cuidado quando for para o "fundo do mar" pegar o soro...
Rodrigo Galhano disse…
O que você está achando de "one more day" que visa justamente dar um reboot na vida do aranha, fazendo-o voltar pra essa fase?

Por um lado é bom, porque essa fase é muito boa mesmo.Por outro lado é ruim porque todos os personagens tem que evoluir e o Peter Parker voltou no tempo, mas a idade dele na cronologia Marvel ficou a mesma.

Por quantas vezes mais isso acontecerá com ele? E outra, uma das coisas mais bombásticas de guerra civil foi justamente a revelação de sua identidade, mas agora isso foi pro ralo, diminuindo o impacto de GC, e perdendo um pouco da graça na hora de lê-la de novo no futuro.

Abraço
Bira disse…
Guedão, vc fez falta lá no lança (confira as fotos, camarada)!
Foi bom pacas!
Assim como seus textos.
E esse da cartinha foi demais.
Como que era?
Conta tudo!!!!!!!!!!
Hauhauhauhahuahuhaah
Abraços
Anônimo disse…
Grande amigo ROBERTO, colega desculpe a demora em responder-lhe sobre a chegada dos livros, é a correria de fim de ano pra comerciário, é fogo!! Mas boa parte da culpa tb é sua! É isso mesmo!! Afinal, desde que chegaram que eu só faço ler e babar!! Cara, que show de publicações, mostrei pra um amigo fã de quadrinhos tb e o cara achou demais! Os dois são ótimos! E a hq do METEORO, como eu já tinha, dei de presente pra este meu amigo, pra divulgar ainda mais, estou lendo e apreciando até com uma lupa, pra ver melhor algumas imagens menores, rapaz, vc não sabe o prazer que estes livros estão me dando, eu amo mesmo os quadrinhos e a história das histórias em hq, do desenvolvimento dessa mídia me dá um prazer enorme..já fico até ansioso em saber: VEM MAIS POR AÍ?? ESTÁS PREPARANDO MAIS ALGUMA COISA NESSA LINHA? Creio já ter todos os teus livros sobre quadrinhos...ou não? Amigo, tb gostaria de obter mais alguma coisa sobre o METEORO, principalmente hqs antigas com os antigos visuais...vc as tem?

GRANDE ABRAÇO, PARABENS PELO PROFISSIONAL E SER HUMANO QUE VC É, MANDE SEMPRE AS NOVIDADES OK? Do seu amigo e fã,
José Carlos Braga
Wendell disse…
FELIZ ANO NOVO MEU CARO ROBERTO GUEDES E COLEGAS DESTE BLOG!!!!

Que Deus abençoe a todos nós em um ano repleto de realizações!

Porque como diria um garoto muito esperto: "...a felicidade não pode ser comprada tampouco ser transferida para objetos, pessoas ou lugares – pois uma hora tudo isso poderá ser tomado de você.

Exceto os sonhos..."

Então que esse ano possamos ser ainda mais felizes e realizar muito de nossos sonhos!!!!

Abraços aracnídeos a todos!

Wendell.
Roberto Guedes disse…
Olá, amigos!
Estou de volta. Obrigado por comentarem neste tópico. Vamos às respostas.

Wendell, um feliz ano novo pra você também! Suas mensagens sempre me emocionam, chapa!

---------

Braga, pra saber mais sobre o Meteoro, leia a matéria que acabei de postar! Você não perde por esperar, amigo.

-------------

Birão, já vi as fotos. Demais!!! Pena que não deu pra comparecer... mas não faltarão novas oportunidades.

---------------

Rodrigo, acho que OMD peca em seu "nascimento", aquela coisa do pacto. Falamos sobre isso antes, mas você tem razão: é um assunto que merece uma abordagem mais detalhada. Vou pensar no assunto.

---------------

Gersão, você é o cara! Sempre lembrando da HQ do Aranha no fundo do mar contra o "Planejador Mestre"! rsrs

------------------

"Anônimo", obrigado por participar. Mas coloca o seu nome na próxima, OK? E, realmente... o Aranha - principalmente o das HQs clássicas de Lee/Ditko/Romita - era um personagem fascinante... e imbatível entre os leitores.

----------------

Gian, aguardo mais informações desse livro. Parece ser muito bom.

------------------

"Quadrinhos em Ação", agradeço a lembrança de minha antigas HQs. Pretendo, aos poucos, colocar mais informações sobre elas aqui no Manifesto. Por enquanto, fique com as novidades a respeito do Meteoro!

Abração pra todos!!!
izely guedes disse…
Esse é o meu primo!
G-R-A-N-D-E garoto!!!!!
beijos, querido