Pular para o conteúdo principal

Como vencer os "Pequenos Golias" da vida

Um homem estava à beira de um colapso nervoso. Ele estava encurralado. Humilhado por todos os últimos acontecimentos injustos a que fora obrigado a passar – às perseguições impiedosas e canalhas, às mentiras, às invejas e às juras de morte – que não sabia mais para que lado virar, nem a quem recorrer. 

Nessa hora, num momento desses, a família pode ser a pá de cal para o soterramento derradeiro. “Amigos", então... ora, é assim que nós os definimos de vez.


Só lhe restava mesmo cair ao solo de joelhos, e orar aos céus, ao Senhor de toda a criação... e ao Leão de Judá, o Verbo Divino - que era, que é, que estava lá no princípio, e que haverá de voltar... para Sua própria honra e glória eterna!

Em meio ao turbilhão de palavras desesperadas, do pranto e do gemido, baixou a luz da provisão, feito um raio fulgurante e escarlate... como um meteoro desenfreado zunindo pela freeway do abismo espacial. E, então... SHEKINAH!

Impávido... destemido... pronto para o que der e vier, o homem renovado, renascido de vez alçou vôo, sempre para o alto e avante. Seu traje era azul feito o infinito, e seu semblante alvo branco. Ele trazia em seu bojo a esperança e a vitória. Sua boca era como uma lança afiada, e manifestava palavras proféticas. Seu braço esquerdo, de mira perfeita, empunhava uma funda, e a sua destra, a Espada do Espírito.

Por onde ele passava, os inimigos do bem caíam com a fronte destroçada, como pequenos e miseráveis Golias – para jamais se erguerem outra vez. E todas as testemunhas admiravam-se de seu poder. Mas a força dele... ah, não dele provinha... já que era uma graça concedida. Concedida àquele que O procura... ao que foi escolhido pelo Pai ainda antes de nascer.

Por isso, sê fiel ao Excelso, e não tema os falsos “iluminados”, os que constroem seus obscenos obeliscos em terreno arenoso. Os que sorvem ganância, arrotam arrogância, e por isso o destino deles já está decretado. Já a tua paga, meu querido e fiel irmão, terá dividendos eternos.

© Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados.

Comentários

Guedão, parabéns por mais esta empreitada.

Estarei aqui seguidamente para acompanhar o teu trabalho!

Abração.
Anônimo disse…
Que belo texto. Intrigante, e ao mesmo tempo fascinante. Realmente, podemos encarar os obstáculos do dia-a-dia como se fossem "Golias". Mas "pequenos", pois com fé e esperança sempre teremos força para supera-los. Parabéns!
Rogério
Roberto Guedes disse…
Paulo, Rogério,

Obrigado por "passarem" por aqui, e prestigiarem, OK?
wendell disse…
Realmente um lindo texto.

Parabéns.
J Júnior disse…
A partir do momento que vc duvida, vc se torna um golias de si mesmo!
Anônimo disse…
Excelente ensaio, Guedes! Deus é tudo e Jesus, o nosso grande herói. Deus deu seu filho amado (o "Leão de Judá" do seu magnífico e inspiradíssimo texto) para morrer por nós. E quem aqui faria isso?
Carlos
Ricardo disse…
Grande Guedes,

Cheguei atrasado, mas ja li todos os posts, estarei aqui seguindo o blog, ate pq, como ja disse um dia poderei me orgulhar de ter lido a Obra Completa de Roberto Guedes no original, hehe

abraçao
Roberto Guedes disse…
Antes tarde do que nunca, não é, Ricardo?
Bem-vindo ao blog, chapa!
Igor disse…
É isso aí primo, tudo provém dEle, o Pai das Luzes. Estarei sempre lendo suas postagens.
Abração,

Igor
Roberto Guedes disse…
Querido Igor,
É um prazer vê-lo por aqui!
Abração!