Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

A opinião do leitor é a mais importante

Dia desses eu recebi um e-mail muito bacana do leitor Marcelo Franco, de Ribeirão Preto, e até pensei em reproduzi-lo na seção de cartas da próxima edição do Almanaque Meteoro. Mas por uma questão de espaço físico - a "carta" de Marcelo é longa demais e seria um pecado ter de editá-la -, eu preferi postá-la aqui no Manifesto, na íntegra e exatamente como ele a redigiu, para que os fieis e intrépidos seguidores possam apreciá-la em sua totalidade e refletir sobre suas palavras. © Copyright Roberto Guedes. Todos os direitos reservados. Ribeirão Preto, 25 de agosto de 2012. Prezado Roberto Guedes,                                Saudações quadrinisticas!                                Acabei de ler o seu sensacional livro “ A ERA DE BRONZE DOS SUPER-HERÓIS ”. As sensações que ele me inspirou me fizeram escrever a você, ilustre autor.  Acredito que somos da mesma geração de leitores, embora, pelo que pude observar, você deve ter iniciado nos quadrinhos um

"Deixem o Homem-Aranha envelhecer!"

Uma das grandes - entre as várias - sacadas de Stan Lee para tornar os super-heróis Marvel em sucessos de público e crítica, foi a implementação do conceito cronológico nas histórias. Ou seja, os personagens se desenvolviam física e psicologicamente nas tramas, à medida que as séries avançavam. Por exemplo, na primeira edição do Quarteto Fantástico, o Senhor Fantástico e a Garota Invisível eram apenas noivos. Alguns poucos anos depois eles se casaram. Mais algum tempinho, e nasceu o primeiro filho deles - que, não muito depois, passou a ser retratado como um pré-adolescente. No final das contas, Sue já madura, trocou a palavra "Garota" por "Mulher" em sua alcunha super-heroica. Isso gerou um sentimento de identificação muito forte nos leitores, pois estes viam nos personagens características críveis e interessantes. Todavia, e não por acaso, o mais emblemático e carismático de todos os heróis de Stan Lee, o Homem-Aranha, foi o que apresentou o maior grau de