Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

Almanaque Meteoro 5 à venda

A hora chegou, ó intrépido! Almanaque Meteoro 5 já se encontra à venda!  A saga de Roger Mandari, o Meteoro, está cada vez mais emocionante. Nesta nova edição ele protagoniza duas histórias de tirar o fôlego. A revista ainda traz uma HQ inédita do caubói Chet, além de pinups, sketches dos personagens e as costumeiras seções Boletim Manifesto e Meteoro Responde. Em “Sob Todos os Olhares”, Meteoro enfrenta o Rapinador – a encarnação viva de um espírito da selva amazônica –, que invade o templo da Sinarquia Universal em busca de um artefato místico de poder incalculável. Ocorre um crime, e muitos se tornam suspeitos.  Entrementes aos fatos, a vida pessoal do jovem herói esquenta de vez durante a festa de aniversário de Laura Lopez, a estonteante loira do Colégio Central.  Desenhos eletrizantes de A-Lima, experiente artista com trabalhos publicados em várias editoras, inclusive internacionais. Já “Meu Exemplo, Tua Escolha” é um convite à reflexão, e tem tudo para

O quadrinho psicodélico de Steranko

No final dos anos 1960, Jim Steranko se destacava dos demais ilustradores da Pop Art por misturar, com maestria e bom gosto, conceitos artísticos de Op Art e Psicodelia com a linguagem visual e narrativa das HQs. Até o grande Neal Adams, então na DC Comics, prestou-lhe homenagem ao recriar uma cena da série Nick Fury numa história do macabro Desafiador.  Seu prestígio era tanto que Steranko foi o primeiro desenhista da Era Marvel a conquistar o direito de escrever suas próprias histórias – privilégio que o editor Stan Lee não concedeu nem mesmo aos parceiros mais constantes, Jack Kirby e Steve Ditko (tempos depois Kirby escreveria HQs de Kazar e Inumanos).  A capa de Nick Fury, Agent of S.H.I.E.L.D. 4   (setembro de 1968) é a  mais famosa feita por Steranko - e também a mais homenageada por outros artistas desde então -, devido ao seu grafismo repleto de elementos psicodélicos, urbanos e perturbadores.   Curiosamente, Steranko não escreveu e nem desenhou a história dessa