Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2021

Gibilândia 15: homenagens, protótipos e personagens precursores

O novo número do fanzine mais badalado da atualidade reúne material raríssimo dos monstros sagrados das HQs: JOHN BUSCEMA, STEVE DITKO, JACK KIRBY e JOE SIMON, além de dois artigos especiais sobre os icônicos SUPERMAN e SPEED RACER . Em Superman: entre a polêmica e a decepção, uma análise sobre as principais transformações ocorridas com o Homem de Aço após a reformulação empreendida por JOHN BYRNE na segunda metade dos anos 1980. Já Speed Racer, o mais ocidental dos mangás, relembra os quadrinhos do personagem feitos fora do Japão. Adiante, seguem resumos das HQs.  ENTRE NA MINHA SALA – Adventures of the Fly 1, agosto de 1959. Eletrizante aventura criada por Joe Simon e Jack Kirby para a Archie Comics. O vilão Aranha surgiu três anos antes do Homem-Aranha de Stan Lee e Steve Ditko, mas como o leitor poderá observar, exceto pelo nome, ambos personagens não possuem nada em comum. Como curiosidade, o título da história é uma referência ao poema A aranha e a mosca de Mary Howitt,

Adeus, Antero!

  Triste pela morte de Antero Leivas (noticiada por parentes dele no Facebook, em 9 de maio de 2021). Embora a gente nunca tenha se encontrado, o considerava um amigo. Mantivemos contato por telefone e pela internet desde os tempos da Opera Graphica -- quando eu era editor e ele colaborador das nossas publicações. Tínhamos muitas afinidades, as principais, creio, a paixão pelos quadrinhos da Warren e o saudosismo dos tempos do Clube do Bloquinho. Ainda recordo com alegria quando li a entrevista que ele fez com Wilson Vianna, o Capitão Aza, publicada na revista TV Séries 27. Antero, sempre gentil comigo, se dizia fã do Meteoro: "Um personagem com uma ginga carioquíssima, apesar de paulistano", palavras dele eternizadas na seção de correspondência do Almanaque Meteoro 4. Numa de nossas últimas conversas, ele se mostrava um tanto desencantado com os rumos atuais do nosso mercado editorial; e trabalhava como revisor e pesquisador para uma agência ligada ao Centro Cultural Banco

GIBILÂNDIA 14: BYRNE, STARLIN E ENTREVISTA COM ROMITA

  Atendendo aos pedidos dos leitores, a nova edição do   Gibilândia   apresenta a origem e primeira aparição de   Os Herdeiros do Apocaliopse,   série de ficção científica publicada nos anos 1970 pela Charlton Comics.  Criada pelo grande John Byrne, então em início de carreira, e pelo roteirista Joe Gill, os Herdeiros são um grupo de astronautas que retornam à Terra após uma guerra nuclear. Eles encontram o mundo devastado, mas também transformado, cheio de perigos, os quais terão de enfrentar com muita garra para conseguirem se manter vivos. Outra grande atração desse número é o faroeste  Billy The Kid,  de 1956, assinado por ninguém menos que Stan Lee, com desenhos primorosos de Matt Baker, o primeiro artista afrodescendente a fazer sucesso no disputadíssimo mercado americano de quadrinhos.   Já em O visitante, o sempre formidável Jim Starlin oferece mais uma de suas tragicomédias. Embora tenha saído em 1975, na revista independente  Star Reach,  a crítica social nela embutida perman

A Era Moderna dos super-heróis é o tema do Status Comics 5

A nova edição da revista independente especializada em quadrinhos, Status Comics,  é totalmente dedicada ao período histórico comumente aceito entre os estudiosos americanos da Nona Arte, como a “Era Moderna” dos super-heróis. Teve início em 1986, com os lançamentos de Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller, e Watchmen, de Alan Moore, que influenciaram decisivamente as HQs produzidas depois; com as tramas passando a mostrar um conteúdo mais realista e violento, com maior carga de erotismo, crítica social, religiosidade e ocultismo. A publicação detalha alguns dos principais aspectos da fase moderna em quatro longos artigos: Os apóstolos do caos – Explora os meandros psicológicos e religiosos de obras como A Piada mortal e A Queda de Murdock; a metalinguagem empregada na série Homem-Animal, por Grant Morrison; a trilogia de caráter operístico de Jim Starlin, As Sagas do Infinito (de influência determinante nos filmes recentes da Marvel); e o sucesso comercial da Mo

Stan Lee e RGE formam combo literário no Catarse

Faz pouco mais de uma semana que a  Editora Noir anunciou a campanha no Catarse da biografia do gênio dos quadrinhos, Stan Lee, de minha autoria. Em nova edição, rebatizada de  Senhor Maravilha – A Biografia de Stan Lee,  o livro foi totalmente reescrito e ganhou uma infinidade de informações e novas imagens, com 250 páginas. E, assim,  completa o que os leitores convencionaram chamar de "Trilogia do Guedes", formada por   Jack Kirby – O Criador de Deuses   e   O Incrível Steve Ditko.   Ambos lançados anteriormente pela Noir. O legal é que, quem participar, poderá ganhar um bônus dos mais irresistíveis:   Arquivos Secretos da RGE,   obra inédita e exclusiva, de 84 páginas, também escrita por mim. Traz a história da Rio Gráfica e Editora (RGE), de Roberto Marinho, considerada a primeira grande editora de gibis no país. Mas atenção: somente os apoiadores terão esse tesouro em sua coleção, pois o mesmo não será comercializado individualmente. P ara este trabalho, que destaca um

Gibilândia 13: Vingadores, Frank Miller e Klaus Janson

Acabou o carnaval, mas a folia começa agora nas páginas do GIBILÂNDIA 13, com cinco histórias raríssimas e, até então, inéditas no Brasil; de Frank Miller, Klaus Janson, Dan Adkins, Gutemberg Monteiro e, até mesmo, uma especialíssima dos Vingadores, envolvendo os três mais poderosos membros da equipe: Thor, Hulk e Homem de Ferro. A edição ainda traz uma reportagem abrangente sobre as principais sagas dos Vingadores ao longo das décadas, e um artigo com muitas curiosidades a respeito da passagem do Homem Chamado Nova nas revistas inglesas dos anos 1970. HALL DA FAMA DOS VINGADORES – Marvel Super Action 35, 36 e 37, setembro a novembro de 1981. História dividida em três partes de duas páginas cada, publicada num título que reprisava antigas aventuras dos Vingadores. Supostamente roteirizada por Roger, com belos desenhos de Bob Budiansky. CHAME A ISSO DE CARMA – Overkill 26, 1976. Um dos trabalhos mais remotos de Frank Miller, publicado num fanzine de baixa tiragem antes de se p

Gibilândia 12: HQs e artigos polêmicos

Quadrinhos com fortes mensagens marcam o novo número do fanzine.   Nada como iniciar o ano lendo uma das melhores seleções de histórias já vistas no Gibilândia. A edição traz duas preciosidades retiradas de revistas promocionais que acompanhavam brinquedos: O grande desafio do Capitão América, de Aurora Comic Scenes Captain America 192 (1975), por Len Wein e John Romita; e Uma empolgante aventura com o Cavaleiro Solitário, de Aurora Comic Scenes Lone Ranger 188 (1974), por Marv Wolfman e Gil Kane.   A HQ do Sentinela da Liberdade vinha no clima do Bicentenário dos Estados Unidos, que ocorreria em 1976, com um discurso antirracista ainda muito atual. Poderosa também é a mensagem na trama do Cavaleiro Solitário, ao deixar claro que vale a pena lutar para salvar vidas, mesmo as de quem vive à margem da lei. O cósmico autor Jim Starlin marca presença em Eu tenho o poder!, de Star Reach 2 (1975). Metáfora em forma de humor negro à desilusão do sonho de “paz e amor” da contracultur